Palestra do presidente da SBEE traz conceitos do Espiritismo no século XXI

24/01/2018 16h17

O pensamento crítico, a cogência entre ciência, filosofia e religião, a importância da desmistificação da Doutrina Espírita, do afastamento do medo e da ignorância e a importância do pensamento crítico e da interpretação da Doutrina por meio da antropologia foram alguns dos assuntos tratados na palestra ministrada pelo presidente da Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE), Maury Rodrigues da Cruz, nesta terça-feira (23 de janeiro) no núcleo do Rio de Janeiro. A palestra, intitulada "A Dinâmica do Pensamento Espírita no Século XXI" foi a primeira de uma série de palestras da SBEE que serão transmitidas ao vivo pelo YouTube**.

"É preciso coragem para romper com o místico, determinação para não utilizarmos mais estas muletas e contextualização do Evangelho", afirmou o professor Maury, três das várias formas de rompimento com os padrões antigos da Doutrina Espírita e o estabelecimento de um novo pensamento crítico, que deve fazer parte do cotidiano das casas espíritas que têm o objetivo do crescimento moral e ético. Segundo o presidente da SBEE, é preciso pensar a Doutrina cada vez mais dentro dos conceitos da complexidade*, da antropologia e da ciência que, por exemplo, já trabalha os conceitos de imagens holográficas, concluindo então que nem todas as imagens que são vistas são de espíritos manifestantes.

Maury também relembrou alguns dos princípios básicos da Doutrina Espírita, como Jesus Cristo – que veio à Terra para deixar a mensagem de que todos somos o amor, a verdade a e justiça; a reencarnação – não como "castigo", mas como oportunidade de aprendizado e de ensino; a comunicação entre os polissistemas espiritual e material e o livre-arbítrio – cada pessoa tem juízo crítico para fazer ou deixar de fazer. Também citou a importância do autoconhecimento, que faz com que todos os dias as pessoas pensem o que estão fazendo de suas vidas, quem são e o que desejam, dando sustentabilidade ao pensamento; do trabalho enquanto disciplinador da vida; e também da mensagem dos espíritos, que é sempre racional, operativa, funcional e inteligente. "A Doutrina Espírita é libertadora, traz a responsabilidade política e cultural para podermos mudar o mundo. O centro espírita precisa, sempre, ter um currículo voltado à promoção humana, pois justiça social se faz com educação", comentou.

A complexidade e suas implicações são as bases do denominado pensamento complexo de Edgar Morin, que vê o mundo como um todo indissociável e propõe uma abordagem multidisciplinar e multirreferenciada para a construção do conhecimento.

Assista a palestra