Organizadores fazem avaliação da 4ª Semana Espírita de Dourados

23/04/2018 10h40

 

"A 4ª Semana Espírita foi um evento de festa nos dois planos, a sintonia e a harmonia, só foi possível porque todos os envolvidos estiveram como medianeiros da orquestra Divina! A Banda foi tocada de lá para cá, conforme o preceito da prática medianímica. Desde os temas, harmonização, palestrantes, equipe de frente, jornalismo, foi de alto padrão com pouco discurso e muita ação, expressando o amadurecimento almejado por aqueles que abraçam a tarefa do Mestre Jesus, expressando o amor universal! Saímos deste evento com uma proposta de trabalho para Dourados, sinalizando os próximos eventos com o papel do Espírita no planeta em transição. Estamos em Dourados para auxiliar o povo Indígena a resgatar a terra nos seus Ecossistemas, está foi a missão dada, estamos todos envolvidos no processo e acreditamos que a nossa União é de companheiros, amigos, irmãos, que vibram alegres ao bem do evangelho, que vibrai e contagia como bons Cristãos!" – Adriana Rochas

"A 4ª Semana Espírita de Dourados realizada entre os dias 10/04 e 15/04/2018, reconhecidamente, se fez um divisor de águas. O que quer dizer? Que houve, na prática, uma movimentação de ampla penetração, repercutindo manifestações que merecem registro. Desde a sua concepção, com a realização da 1ª Semana Espírita havida no ano de 2015, não havia se produzido tamanha conexão e sintonia. Quer seja na participação eclética dos palestrantes, que com obviedade, demonstraram vasto conhecimento a respeito do Tema Central, bem como expuseram com maestria os respectivos subtemas a eles proposto, quer seja ainda na produção, mediação e condução na forma criativa de mostrar ao público um evento capaz de fixar atenções.

Mas além de tudo isso, o que mais nos impressionou foi a participação considerável da coletividade (espírita ou não), o que pode ser explicado por variados motivos a saber: A excelência da organização, a divulgação ampla e maciça pelos meios de comunicação entre a comunidade espírita, e, principalmente o denodo e a dedicação externada pelos trabalhadores e voluntários, o que sabidamente influiu na participação e satisfação do público assistente, gerando empatia e reconhecimento.

A harmonia musical de qualidade, a obediência aos horários previamente estabelecidos, a interação havida entre todos os colaboradores, além da visualização chamativa do ambiente por conta da decoração, foram pontos altamente positivos na consecução do resultado.

Muitos outros adjetivos poderiam ser acrescidos à nossa reflexão acerca desse evento espírita, o qual já vem se tornando ponto de encontro da população espírita ávida por conhecimentos, e de não espíritas que anseiam por elevação e conforto espiritual, mas o que de mais relevante pode se destacar é o fato de que Dourados vem se tornando palco de realizações do gênero, o que tem proporcionado reflexões que levam as pessoas à uma mudança comportamental, e de qualidade.

O Tema Central proposto veio de encontro aos anseios, dúvidas e buscas pela descoberta de si mesmos de uma fatia considerável dos adeptos da Doutrina Espírita, o que se traduz salutar.

Somado a tudo isso, necessário se fazer registrar, de que a participação efetiva e vivaz do Movimento Espírita Francisco de Assis, o querido e popular MEFA, foi a mola mestra que impulsionou a notória elevação da qualidade do evento, dando-lhe sentido para que possamos valorizar a vida em seus múltiplos aspectos.

Por fim, levando-se em conta todos esses elementos e importantes detalhes, o raciocínio e a conclusão a que se chega é de que o caminho traçado há de produzir formas viáveis de transformação do ser, com a inserção de uma visão mais dinâmica e eclética acerca da vida e seu sentido, tanto isso é verdade que se percebe um movimento de aceitação das propostas ofertadas." - Munir Hajj