“O sentido da vida é o propósito maior que nos leva a aprender a amar”, diz a psicóloga Ana Tereza Camasmie

16/04/2018 21h22

Foto: Aparecido Frota Foto: Aparecido Frota

"Cada pessoa que vive na Terra descreveria de maneira diversa o sentido de sua vida. E ao longo dos anos, provavelmente mudaria muitas vezes de ideia a respeito desse significado, já que em diversas fases da vida nos fazemos esses questionamentos", explicou a psicóloga e filósofa Ana Tereza Camasmie, do Rio de Janeiro, que proferiu a última palestra da 4ª Semana Espírita, neste domingo (15), no Teatro Municipal de Dourados, com o tema: "O Sentido da Vida à Luz do Espiritismo".

Para ela, a explicação do "sentido da vida" na maioria das vezes está relacionada as convicções filosóficas ou religiosas. "Ter uma crença é uma ponte de acesso a Deus e que é isso que proporciona o sentimento de plenitude", diz. Por outro lado, muitas pessoas somente se dão conta que "estão passando pela vida", já com idade avançada. E neste caso, tudo parece sem sentido. Camasmie explica que à Luz do Espiritismo, esses questinamentos ficam mais fáceis de serem respondidos.

Ela cita que o Evangelho Segundo o Espiritismo nos mostra o objetivo das nossas reencarnações e dos sofrimentos, apontando-os como "crises salutares", que nos levarão a evolução espiritual, que é o sentido de nossas vidas.

Todos nós, ainda no plano espiritual, pedimos para reencarnar e viver novamente as esperiências terrenas. Reencarnamos com um projeto delineado no plano espiritual, mas quando mergulhados na matéria, entramos em processo de "esquecimento". Mas, temos o acompanhamento sistemático dos espíritos que nos protegem durante toda a nossa existência. "Esquecidos do que viemos fazer na terra, nos perguntamos frequentemente: qual é o sentido da minha vida?", lembra.

"Para muitos, o que nos move é o instinto, para outros é a razão, mas somente o ‘propósito’, é o sentido que nos faz caminhar, seja para o nosso bem ou seja para nosso mal. No entanto, o proposito maior, é aprender a amar", completa.

Dentro deste contexto, Camasmie questiona: O que o Espiritismo nos traz de novo? O Espiritismo traz um novo sentido para nossas vidas, nos faz rever conceitos, preferências, o que antes nos provocava prazer agora já não faz mais nenhum sentido. "Entender-se como ser imortal muda nosso olhar sobre as coisas", pondera.

Em seu caráter de Revelação, o Espiritismo traz a verdade que nos liberta do sono da ignorância, dos nossos medos mais profundos. Porém é preciso que haja amadurecimento, pois sem ele é impossível acessar toda a magnitude do Consolador prometido. No presente nível evolutivo ainda existe o prazer com o sofrimento, desta vertente surgem as reclamações e queixas, o que gera desconexão com o verdadeiro sentido da vida e frequentemente a pergunta "o que a vida quer de mim?" nos leva à tão temida crise existencial.

Camasmie nos fala da paciência que precisamos na busca por amadurecimento, pois que nada dá saltos na natureza. O processo de amadurecimento se dá em pequenos propósitos e estes caminham para propósitos maiores. As crises chegam para desestabilizar nossas convicções, valores, o que abre a possibilidade de um novo sentido se estabelecer. "Valores velhos dando espaço para valores novos".

CASA ESPÍRITA

A casa espírita é uma forma que buscamos para nos proporcionar o verdadeiro sentido para nossas ações. Para Camasmie, as tarefas assistenciais não são importantes porque auxiliam o próximo, mas em primeiro lugar, são importantes porque trabalham quem a exerce e é esta a finalidade do trabalhador, seu próprio crescimento como ser humano que amadurece e aprende a amar.

SEMANA ESPÍRITA

A 4ª Semana Espírita de Dourados começou na terça-feira (dia 10) com a apresentação do cantor e compositor Vansan; no dia 11, foi com a psicóloga clínica e hospitalar, especializada em luto, Deusa Samu, que fez uma reflexão sobre a Renovação Espiritual.

O evento também contou com a palestra musicada, com a cantora e compositora Margarete Áquila, de São Paulo que abordou "A Casa Mental", no dia 12. Para falar sobre "Fé: o desafio do homem no século XXI", também esteve presente Mônica de Medeiros, na noite de sexta-feira (13). No sábado (14), a "Valorização da Vida: a prevenção do suicídio no Brasil e no Mundo", foi o tema abordado pelo jornalista, professor e escritor do Rio de Janeiro, André Trigueiro. Durante a Semana também aconteceram os seminários com Mônica de Medeiros e André Trigueiro.

A realização é do Movimento Espírita Francisco de Assis (MEFA) com apoio de diversas casas espíritas, patrocinadores e parceria de divulgação da web rádio Portal da Luz e do site Vozes Espíritas.

Texto: Marli Lange para Vozes Espíritas Fotos: Aparecido Frota