A fera interior

20/11/2018 14h23

"Perdão, meu amor, perdão, meus filhos... Que recordações são estas que me fazem derramar lágrimas? Quem eu fui, por que me tornei isto o que sou? Uma fera, um animal enraivecido. Por que me deixei levar pelo ódio e pelo esquecimento das boas lembranças.

Induzido, fui vítima de uma traição que me ocasionou a morte e me deixou à mercê das más influências. Me fizeram esquecer tudo de bom, para me transformar num escravo da escuridão e das sombras.

Obrigado, meu irmão, por ter me recebido sem medo e de coração aberto. Você tem razão, nos transformamos em nossos piores inimigos, nos remetendo na animalização inicial de nossas jornadas terrestres. Os lobos eram nossos inimigos nos primórdios e é nisto que nos transformamos. Depois destas lembranças de meus filhos correndo num campo, gritando papai e de minha bela esposa de pele clara e cabelos e olhos escuros, penetrantes e doces, caí em mim. Fui um joguete na mão dos tais maiorais que dizem saber de tudo. Não retornarei mais e aceitarei agradecido a vossa ajuda.

Não sei como agradecer... Quero recuperar minha humanidade novamente."

Mensagem psicografada na União Espírita Allan Kardec em 12/11/2018 - Dourados-MS