Título

Conbraje-Norte coloca a juventude como protagonista do bem

14/09/2017 13h59

A primeira Confraternização Brasileira de Juventudes Espírita (Conbraje) da região Norte aconteceu nos dias de 7 a 10 de setembro, em Boa Vista (Roraima). Com o tema "Jovens de Bem", o evento trouxe como foco a formação de uma juventude espírita protagonista das atitudes do bem.

As atividades iniciaram na noite do dia 7, sendo os períodos matutino e vespertino reservados ao acolhimento dos confraternistas. E foram encerradas na manhã do dia 10, com a organização do espaço e despedidas calorosas.

O início de cada período do dia (manhã, tarde e noite) era recepcionado por uma equipe de música de uma das delegações ali presentes. A música tornou-se parte da harmonia ambiental, e mesmo quando não oficial, estava presente. Nos intervalos, no banho, nas refeições sempre havia algum jovem cantando, fato que fez algumas delas famosas no encontro tal qual "cafezinho da Conbraje".

Fato comprovado pelo confraternista João Paulo, de Belém do Pará. "Com a Conbraje pude parar e reavaliar muitas coisas envolvendo o movimento espírita e o protagonismo juvenil. No que tange a arte, consegui ver que existem muitas coisas diferentes, me fazendo voltar pra casa com vontade de aplicar essas novas formas, e isso, também, se fez presente em várias atividades nas quais o jovem esteve a frente", disse João Paulo.

Outra surpresa boa aos "conbrajeiros" foi a presença da Venezuela no evento. Mesmo o país passando por enormes dificuldades de cunho político e econômico, três jovens acompanhadas do presidente da Federação Espírita Venezuelana compareceram, abrilhantando o evento e como sinal de perseverança. Logo, a ideia de Brasil nação do mundo fez-se clara. E pode-se afirmar, sendo assim, que além de espírita a confraternização foi patriota, seja pela data ou pelo cantar do hino nacional na abertura. Sem apresentar, porém, uma ideia de superioridade, mas sim de que todos são irmãos, seja morando perto ou pertencendo a outra nação.

Na sexta-feira, dia 8, começaram os eixos de estudo completando um total de quatro, a maioria divididos em etapas. Eles abordaram o autoconhecimento, auto aprimoramento, protagonismo juvenil na construção da paz e protagonismo juvenil e união. Todos voltados ao jovem de atitude, aquele que irá formar o mundo de regeneração. Tema esse da exposição dialogada realizada na manhã do dia 9, por Jorge Elarrat, convidado a conversar com a juventude e mostrar a ela como usar aquele conhecimento adquirido das etapas anteriores.

Na tarde de sábado, a Conbraje esclareceu um mistério, as oficinas. Até então os confraternistas apenas tinham na programação o título "oficinas" sem saber ao certo do que se tratava. Elas foram quatro – vídeo em plano sequência, flayers digitais, poema digital e podcast – todas voltadas a um objetivo comum: apresentar ao jovem novas formas de divulgar a Doutrina Espírita. Os resultados foram apresentados naquela noite de encerramento.

O último dia também trouxe a carga de responsabilidade aos escolhidos para estarem ali. Foram redigidas as cartas de compromisso, em que as delegações propunham ações a serem cumpridas no seu estado. Só que as delegações convidadas não ficaram livres, a elas coube a carta a ser aberta na próxima Conbraje - Norte, em 2023, pelos trabalhadores que lá estarão. Nesse documento foi lembrado os melhores momentos e o que cada um levaria daquela experiência consigo, já que certamente foi um divisor de águas na vida de todos. Nem que seja pelo suco de cupuaçu (risos).

A despedida foi a parte mais difícil, ninguém queria dar tchau aos novos colegas, muito menos sair daquele mundo paralelo, em que todos são gentis e afins de um mesmo ideal. Contudo, lembrou que a evolução de cada um depende das divergências e dificuldades encontradas no lado de fora, mas que essa tenda de Ismael seja sempre um recanto para os corações e a esperança de um mundo mais pacífico. Todo esse sentimento confirmado nas palavras da confraternista Izabelle Saraiva, de Manaus. "O fatídico dia chegou, hora da despedida, não houve choro, mas sorrisos, promessas de reencontros, muitas fotos, troca de contatos e o melhor: Abraços. O mais interessante foi nossos amigos nos deixar na porta do ônibus, em um só acolhimento. E partimos com essa bagagem toda, comprometidos a ser um jovem de bem", afirmou Izabelle.

As federativas participantes foram as da região Norte pela divisão da FEB (Federação Espírita Brasileira): FER, FERO, FEA, FEAP, FEAC e UEP. Ademais, o evento contou com federativas convidadas de outras regiões do país e foi a chave das Conbrajes regionais, encerrando um ciclo e abrindo as portas a uma futura Conbraje nacional, prevista para 2019.

CONHECE-TE A TI MESMO

Conhecer a si pode parecer fácil, porém todo mundo é especialista em guardar sentimentos onde nem ele mesmo pode encontrar. É difícil, mas não impossível e foi tal mensagem que a sucessão de atividades da Conbraje-Norte trouxe. Uma oportunidade para descobrir o que cada um é e como é possível ser a melhor versão, dentro do movimento espírita.

Os estudos foram divididos em eixos sendo o primeiro deles o autoconhecimento. Essa fase foi subdividida. E a primeira parte tratou-se de uma caça às virtudes, todas elas incitantes da busca pelo jovem de bem. Os participantes usaram para isso coletes de confecção própria, mostrando toda a criatividade juvenil. Deveriam colar os adesivos (sendo virtudes), encontrados em esconderijos, uns nos outros porque no final refletiriam se realmente tinham-nas ou deveriam doar aquela etiqueta a um colega merecedor. Quando todos estavam de coletes completos viraram peças de uma reflexão, com intuito de perceberem o que deviam aprimorar para serem todos bem- aventurados.

O segundo eixo, novamente fragmentado, contou com mais dois momentos. No primeiro os jovens foram iniciados ao jogo da vida, analogia a própria encarnação. Os participantes usaram um dado em que uma das faces tinha uma estrela, o dito desafio estrelado. Quando o jogador pegava essa face, ele precisava cumprir uma prova, todas abordando aspectos doutrinários. Em O Livro dos Espíritos, na questão 132, os espíritos alegam ser a encarnação para alguns expiação e para outros missão, a fim de todos serem perfeitos. E foi esta a mensagem mostrada pelo tabuleiro, que por vezes se cai em desafios, outras se fica estacionado ou até se avança rapidamente, entretanto o jogo leva a conclusão de que basta "refletir com Jesus".

No segundo momento foram apresentadas adversidades, baseadas nas dos confraternistas, anteriormente recolhidas em urnas espalhadas pelo pátio. Dada tarefa foi árdua, pois o problema não era do outro, mas dele mesmo e enxergar um caminho dependia apenas de si. Para facilitar seu andamento, foi realizada em pequenos grupos. Todos precisaram cooperar e cada um descobriu lá a sua solução e levou uma memória individual.

Como última tarefa, todos apresentaram juntos, de maneira artística, uma lição tirada dos estudos e convivência com os colegas, resultando em belas performances. Diante do trajeto percorrido em cada atividade, percebeu-se um objetivo comum entre elas: tornar a juventude espírita protagonista no bem. Isso porque o homem de bem não é perfeito, mas "estuda suas próprias imperfeições e trabalha incessantemente em combatê-las" (Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo 17 item 2).

Autora: Luana Moreno Confira mais fotos em https://www.facebook.com/pg/conbrajenorte