Pensamentos/Alimentos/Doenças e Espiritismo

17/05/2018 10h05

Pensamentos, emoções, alimentos, palavras... formas diferentes de energia.

Somos seres que emitimos e recebemos energias variadas continuamente, durante a vigília e o sono.

Durante o descanso do corpo, a atividade elétrica cerebral se mantém constante.

A fonte do Pensamento não é cerebral como muitos de nós achamos e, sim, provém do Corpo Mental.

Segundo o Espiritismo, toda doença tem seu fundo espiritual. O que adoece primeiro é a alma do indivíduo.

Sentimentos, pensamentos negativos fragilizam o sistema imune do indivíduo, tornando-o susceptível a infecções ou desenvolvimento de doenças outras, como o câncer.

Adoecemos quase sempre pelo desequilíbrio psíquico – Alteração energética (FLUIDICA) que irá repercutir no corpo físico.

Energia e alimentos:

Da mesma forma que as pessoas, os alimentos contêm uma energia vital e esta bioenergia nós a absorvemos, juntamente com a bioquímica dos mesmos.

Há alimentos mais densos, mais leves, mais excitantes ou mais calmantes. Há os de elevado teor de gordura, os de mais fácil digestão, os mais ricos em vitaminas, proteínas, carboidratos, água etc.

As qualidades morais, espirituais e energéticas de cada consciência são determinadas por seus sentimentos e pensamentos, não pela sua alimentação, muito embora os alimentos possam interferir, mas de uma maneira menos importante.

Interessante evitar o consumo excessivo de determinados alimentos - como a carne vermelha - que prejudicam as atividades mediúnicas ou mesmo atividades de exercício anímico como passes e irradiação.

A digestão desse alimento é mais demorada sobrecarregando o aparelho digestivo. Há um fluxo maior de sangue para todas as vísceras abdominais com redução do fluxo sanguíneo para o cérebro, o que dificulta a concentração mental. Isto, apesar de tudo, não é o mais importante. A carne do animal abatido costuma estar impregnada das energias de medo e angústia produzidas pelo animal no momento que antecede o abate.

Os mamíferos já têm uma consciência primitiva e o princípio espiritual mais individualizado, ao contrário dos peixes, devido essa consciência eles imprimem em seu corpo físico as energias das emoções mais intensas.

Os amigos espirituais dizem que a carne dos mamíferos possui energia vital de densidade muito semelhante à energia vital humana, o que leva a uma aderência dessa energia ("fluido vital") ao nosso campo de energia vital, o denominado corpo etéreo.

Ao ingerirmos a carne do animal abatido, há uma decomposição ou fragmentação de seus subcomponentes (aminoácidos etc.), os quais serão absorvidos pelo nosso sangue.

A energia vital é também absorvida, encaminhando-se para o nosso corpo vital (o mesmo que corpo etéreo), que é um campo de energia fixadora do períspirito (corpo astral) ao corpo biológico.

Este campo de energia vital (corpo etéreo) ao absorver a energia vital do mamífero, torna-se mais denso, mais "oleoso", dificultando o trânsito das energias do corpo biológico para o corpo espiritual (períspirito). Essa dificuldade de trânsito das energias acarretaria:

Maior dificuldade de desdobramento mediúnico.

2- Maior dificuldade na captação de energias espirituais.

3- Maior dificuldade na doação de energias, ao trabalhar no passe.

4- Maior dificuldade em receber passes.

5- Crescente dificuldade em todos esses aspectos.

6- Processo da desencarnação mais lento

Portanto, os mentores espirituais pedem para não comermos carne vermelha nos dias de sessão mediúnica ou dias de labores espirituais, por uma razão científica, não apenas por um motivo filosófico e ético, que por si só já seriam compreensíveis.

A alimentação que exclui carne vermelha e opta por peixes, é vantajosa no sentido da menor proximidade dos peixes com o homem, comparando-os com os mamíferos.

Outros alimentos e bebidas devem ser ingeridos com moderação nos dias de sessão mediúnica: alimentos excitantes, e reconhecidamente estimulantes, exceto os que já fazem parte da rotina diária e não estão gerando esses efeitos, por exemplo, o habitual café ou chá.

As bebidas alcoólicas ocasionam expansão de consciência, efetuam abertura de canais anímicos e oportunizam influências de frequência vibratória mais densa e menos elevada. Nos dias da sessão são sumamente contraindicados.

Autor: Allan Longhi - médico cardiologista