Casas espíritas se unem em campanha contra o aborto

25/05/2018 16h46

"A maior ameaça para a paz hoje é o aborto, porque o aborto é declarar guerra à criança, a criança inocente que morre nas mãos de sua própria mãe. Se aceitarmos que uma mãe possa matar o seu próprio filho, como podemos dizer aos outros que não se matem? Como persuadir uma mulher para que não pratique um aborto? Como sempre, terá que fazê-lo com amor e recordar que amar significa doar-se".

Essa foi uma das declarações da Madre Teresa de Calcultá, em 1994 diante do então presidente dos Estados Unidos Bill Clinton. Agora a mulher considerada santa por muitas pessoas leva o nome da Campanha que mobiliza diversas casas espíritas em Dourados – Campanha Educacional Madre Teresa de Calcutá – em defesa da vida, contra o aborto, que acontece neste sábado, 26 de maio, na Praça Antônio João.

As Casa Espíritas participantes, Maria de Nazaré, Jesus de Nazaré, Movimento Espírita Francisco de Assis (Mefa) com colaboração da Casa da Prece, deve panfletar, fazer exposição de banners e livros amanhã, das 9h às 11h, na Praça Antônio João. Além disso um processo de escuta deverá ser feito com as pessoas interessadas que passarem pela região Central da cidade.

Para uma das organizadoras do evento, Deyse Mari, a visão espírita em relação ao assunto é a do dom da vida sempre. "O dom da vida é um dom direto do pai Criador, mesmo com riscos, aquele ser que irá encarnar tem as suas necessidades diante daquele período na reencarnação. Ele precisa e necessita passar por este momento", afirmou.

Ações de Madre Teresa de Calcutá

Boa parte das críticas foram focadas na aguerrida oposição que Madre Teresa fazia ao aborto e à contracepção, que a religiosa não fazia questão de disfarçar. "Sinto que o grande destruidor da paz hoje é o aborto", dizia. "Se aceitamos que uma mãe possa matar até o seu próprio filho, como poderemos dizer às pessoas que não se matem umas às outras". Teresa chegou a expor argumentos como esse no seu discurso por ocasião do recebimento do Nobel da Paz, em 1979, e um evento em 1994, nos Estados Unidos, diante de Bill e Hillary Clinton, ambos favoráveis ao aborto livre. A rede de clínicas de aborto Planned Parenthood, a maior dos Estados Unidos, chamou Madre Teresa, em 1986, de "pesadelo das mulheres".

Texto: Aliny Fernandes com informações de Sempre Família (https://www.semprefamilia.com.br/santa-e-empoderada-como-madre-teresa-se-tornou-uma-das-mulheres-mais-influentes-do-mundo/)