Exercite a Paz

22/02/2018 20h47

Imagem: celitel2.com Imagem: celitel2.com

"A boca fala, o que o coração está cheio"

Tem gente que vive provocando e tentando transtornar a vida do outro porque só sabe enxergar com os olhos da crítica destrutiva. Se a pessoa criticada não se cuidar, entra na vibração e acaba se contagiando com os dardos negativos lançados. Ao aceitar o azedume do outro, o desequilíbrio é certeiro!

A crítica, quando realizada de forma tranqüila, é bem aceita, e não deve ser encarada como forma de destruir o trabalho que é realizado. A opinião merece ser considerada, mas, quando é o contrário, além de desestimulador pode estragar o dia e até a existência da pessoa.

Pensar sobre a forma como falamos sobre o trabalho e a postura do outro é fundamental para uma relação harmoniosa.

Aquele que é movido por sentimentos descontrolados, nascidos no despeito, na mágoa e na paixão agem com insensatez pois acreditam deter a verdade e a sabedoria. Joanna de Ângelis, no livro Desperte e Seja Feliz, destaca que para o comportamento desequilibrado a melhor resposta é o silêncio e as nossas ações que os desmentirão, pois são pessoas que vivem observando o que consideram sejam as falhas alheias e não se dão conta das próprias.

Difícil é manter o silêncio diante de uma pessoa descontrolada, que tem dificuldade de manter a calma. Podemos exercitar a paciência não respondendo de imediato. Diga a ela, que poderá conversar mais tarde, assim que ela se acalmar. Meu Deus! Mesmo assim ela teima em querer te colocar na "roda" da discussão. Criando este escudo, envie sentimento de amor que ela está precisando e aguarde o momento certo. Mas, e aí?

A pessoa sem auto-controle está de mal com ela mesma. Não percebe o estrago que faz na mente no coração do outro. Passada a tempestade que ela provocou, volta arrependida, para pedir desculpas. "Pois é, o estrago foi feito". O que fazer então?

Evite falar o que pensa com o coração carregado de sentimentos negativos. Encontre o horário certo pra você e para o próximo. Construir uma boa relação é fundamental para quem deseja se desenvolver como pessoa. Exercitando, poderá atingir a paz que tanto necessita. Acalme-se para não ferir o outro, pois, uma vez, a ferida aberta, fica difícil de fechar. Acalme-se!

Tem uma história que costumo contar para ilustrar este tema.

Parábola da tábua e dos pregos

Era uma vez um rapazinho que tinha um temperamento muito explosivo.

Um dia, o pai deu-lhe um saco cheio de pregos e uma tábua de madeira.

Disse-lhe que martelasse um prego na tábua cada vez que perdesse a paciência com alguém. No primeiro dia o rapaz pregou 37 pregos na tábua. Já nos dias seguintes, enquanto ia aprendendo a controlar a ira, o número de pregos martelados por dia foram diminuindo gradualmente.

Ele foi descobrindo que dava menos trabalho controlar a ira do que ter que ir todos os dias pregar vários pregos na tábua…

Finalmente chegou o dia em que não perdeu a paciência uma vez que fosse.

Falou com o pai sobre seu sucesso e sobre como se sentia melhor por não explodir com os outros. O pai sugeriu-lhe que retirasse todos os pregos da tábua e que lha trouxesse.

O rapaz trouxe então a tábua, já sem os pregos, e entregou-a ao pai.

Este disse-lhe: – Estás de parabéns, filho! Mas repara nos buracos que os pregos deixaram na tábua. Nunca mais ela será como antes.

Quando falas enquanto estás com raiva, as tuas palavras deixam marcas como essas. Podes enfiar uma faca em alguém e depois retira-la, mas não importa quantas vezes peças desculpas, a cicatriz ainda continuará lá. Uma agressão verbal é tão violenta como uma agressão física.

Amigos são joias raras, cada vez mais raras. Eles fazem-te sorrir e encorajam-te a alcançar o sucesso. Eles emprestam-te o ombro, compartilham os teus momentos de alegria, e têm sempre o coração aberto para ti.

Por outro lado e segundo Ghandi: "Aprendi através da experiência amarga a suprema lição: controlar minha ira e torná-la como o calor que é convertido em energia. Nossa ira controlada pode ser convertida numa força capaz de mover o mundo."

Assim convertam a vossa ira, e ajudem a mover o mundo, começando por se mudar a vocês próprios! Peçam desculpa pelas cicatrizes que tenham deixado!

Autora: Fátima Frota